terça-feira, 29 de março de 2016

Resenha #26 - A Sereia


Uma história sobre sereias que não estamos acostumados a ler. Será mesmo que elas são seres malignos incapazes de amar? Ou será que elas realmente são iguais a Ariel, a Pequena Sereia, cheias de sonhos e fantasias?


Descubra agora lendo a resenha de A Sereia.

Desafio: #EuLi2016 - Um livro de Fantasia



Após um trágico acidente de navio, Kahlen foi a única sobrevivente. A Água a salvou, mas com uma condição que foi aceita pela jovem moça: servi-la durante cem anos. E nesse tempo ela não envelheceria, adoeceria ou sofreria qualquer dano causado pelo arrastar da idade. Sua beleza seria mantida e poderia ter qualquer relação com os humanos. A única coisa que não poderia era jamais falar com eles, pois sua voz era mortal.

Oitenta anos depois, Kahlen já estava habituada com a sua nova vida. Sempre foi muito obediente e disciplinada. Por medo, nunca se aproximou dos humanos, ao contrário de suas irmãs. Como prometido pela Água, permaneceu jovem e bela, sem muitas lembranças de sua vida passada. Só havia uma coisa que a deixava triste: o momento que usava sua voz para cantar e tirar as vidas que seriam entregues a Água. O seu tempo de servidão estava acabando. Só precisava aguentar um pouco mais.

“Talvez o segredo para eu poder seguir em frente não fosse eliminar tudo o que eu sentia. Talvez só precisasse me concentrar no único sentimento que fazia todos os outros parecerem menores.

Sem ter muitas opções para apagar da mente as vidas que tirava, passou a frequentar a biblioteca que ficava na universidade ao lado de sua casa. E foi nessa visita que a jovem sereia soube o que era se apaixonar de verdade. Nesse instante Kahlen conhece o estudante Akinli.

“Também sabia que não seria capaz de esquecê-lo. Mas era uma cruz que teria de carregar em silêncio. Silêncio. Eu já deveria estar acostumada com isso àquela altura.

Desde esse dia, os dois passaram a se encontrar com bastante frequência, mesmo Kahlen sabendo do perigo que ela oferecia. Akinli não se importava com sua falta de palavras e isso era perfeito. Os dois conversavam via mensagem de texto no celular e cozinhavam juntos por meio de recados anotados no bloco ou quadro. Finalmente Kahlen achou um motivo para ser feliz. Akinli era doce, amável e a compreendia na mesma proporção que suas irmãs. Porém um pequeno deslize no primeiro beijo levou a relação dos dois para um estágio perigoso. Ele ouviu seu sussurro e adoeceu.

“Akinli não sabia direito o que havia de errado comigo, e mesmo assim queria que eu ficasse.

A Água não aceitava nenhuma desobediência por parte de suas filhas. Ela as amava do seu modo e não conseguia pensar em mata-las como deveria fazer. Mediante a esse dilema, a solução foi punir Kahlen com mais 50 anos de trabalho, e em troca cumpriria sua promessa de manter Akinli vivo. Um humano não era capaz de viver após ouvir a voz de uma sereia. Apenas Akinli teria esse privilégio.

Kahlen sabia que havia uma forte ligação entre os dois e no momento que ele adoeceu, ela também começou a enfraquecer. Isso era impossível no mundo das sereias. As suas irmãs começaram a pesquisar a cura para Kahlen e Akinli com a ajuda da Água. Mesmo depois de muitas conversas e pesquisas, descobriram que a Ela estava escondendo uma informação importante que poderia salvar as duas vidas.

“Sempre há espaço para o amor, nem que seja uma frestinha. Isso basta.

A Água tinha uma única opção e precisava tomar uma decisão imediata. Faria o que fosse necessário para salvar Kahlen e seu grande amor, ou agiria conforme as leis que ela mesma havia criado?


Nessa fantasia sobre sereias, a autora optou por não deixar que elas fossem serem tão horríveis e malignas como já conhecemos em diversos contos. Apesar de matar os navegantes com suas vozes sedutoras, as sereias tinham sentimentos de carinho, amor e afeto, principalmente entre elas. A essência de não se apaixonar por um humano foi mantida sem grandes revelações ou mudanças. O final foi bem típico de conto de fadas, que por sua vez me fez gostar do livro, já que os adoro. Achei o toque de romantismo aplicado na medida certa. Não foi meloso e apelativo. Foi natural. Confesso que as lamentações de Kahlen e sua devoção pela Água às vezes me irritaram, mas no decorrer dos capítulos seus sentimentos tornaram-se compreensíveis.  

No geral eu gostei e recomendo a leitura para quem não tem problemas com mundos imaginários e romances à beira-mar. Não há grandes expectativas, mas não tem como não torcer por um final feliz. Não esperem algo mirabolante ou sombrio demais. É um romance não se esqueçam rs.


Para saber mais sobre o livro e autora, acesse o Skoob clicando aqui.


Ótima leitura! 

9 comentários:

  1. Oi Ju
    Eu tô qrendo mt ler esse livro!
    Já tinha lido resenhas positivas sobre ele e agora fiquei mais ansiosa para lê-lo
    Adorei sua resenha!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda!
      Leia sim. Com certeza irá gostar muito!
      Abs ;)

      Excluir
  2. Ju, desde que eu vi A Sereia pela primeira vez, eu me apaixonei por sua capa, e agora que tive a oportunidade de ler uma resenha, quero adquirir em breve o livro e fazer a leitura.
    Histórias sobre sereias sempre me chamaram atenção, e saber que encontraremos um romance quase impossível neste livro, me deixou bastante curiosa para saber mais sobre ele.
    Espero ter a oportunidade de lê-lo em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Ale!
      As capas de Kiera geralmente são lindas, e A Sereia não poderia ficar de fora né? Eu também adorei. O romance é muito gostoso de ler, não é nada meloso, e não interfere demais no verdadeiro objetivo da história. Achei tudo dentro da medida certa. Leia sim!
      Abs :)

      Excluir
  3. Bom dia Juliana,

    Parece um livro e uma série muito boa e por ser um romance é estranho ser tão sombrio, mas pode ser uma inovação...kkk.

    Beijos.


    http://deslumbreacessorios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nunca li uma história que possui sereias e o livro me despertou curiosidade, desde o momento que soube que a autora é a Kiera Cass.
    Gostei de saber que não há aquele tipo de romance meloso e quero muito descobrir como é o final da história.

    ResponderExcluir
  5. Ju!
    Adoro romances com seres fantásticos e acredito que sereia está sempre em nosso inconsciente, já que desde criança escutamos histórias sobre elas.
    Aqui me parece que são um pouco diferentes, mas deve ser uma linda história de amor.
    “Não ganhe o mundo e perca sua alma; sabedoria é melhor que prata e ouro.” (Bob Marley)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista especial de aniversário em abril: com 6 livros 5 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Mais um lançamento super bem comentado da Kiera, sempre com a criatividade 100% (Kiera, doa um pouco para mim de criatividade, to precisando) uma história fantástica

    ResponderExcluir
  7. Eu gosto muito da escrita da Kiera Cass e quero muito ler esse livro, eu gostei muito da premissa dele, e apesar de muita gente fazer comparações entre A Sereia com A Seleção e falar que A Sereia é bem inferior, acho que cada livro é único, e traz algo de bom consigo. Quero ler esse livro justamente por ser uma leitura despretensiosa, leve e com uma boa dose de romance. Gostei muito da resenha e não vejo a hora de lê-lo. Beijo!

    ResponderExcluir

Gostou da postagem selecionada pela Valentina? Aproveite então para deixar o seu comentário com elogios, sugestões, opiniões e outros que desejar! Deixe o seu link também e se o comentário for bacana e sincero, com certeza Valentina e eu retribuiremos a visita! Continue navegando pelo blog e acesse mais conteúdos incríveis!

© Oh Querida Valentina - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Juliana Cristina.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo